Wednesday, May 10, 2017

NO CINEMA: Guardians of the Galaxy Vol. 2 (Guardiões da Galáxia Vol. 2)

Nota: 10 / 10

Eu acabei de chegar de Guardians of the Galaxy Vol. 2, e ainda estou enumerando, na minha cabeça, os melhores momentos do filme! Sem sombra de dúvidas, é o filme mais divertido e engraçado do ano inteiro! Eu nem preciso ver os outros filmes de quadrinhos do ano para chegar a essa conclusão!

Em 2014 eu havia visto o primeiro filme nos cinemas, e comentei com um amigo meu, que este era o novo Star Wars, de tão satisfeito que eu fiquei com a coisa toda! Minha teoria, aos poucos, está se confirmando! O segundo filme dos aventureiros espaciais da Marvel vem mostrar a todos como fazer uma ideia já requentada virar uma ótima história, com humor de rachar o bico, mas ao mesmo tempo com drama, ação boa, de entortar os olhos, e ao mesmo tempo, emocionar! Uma técnica que a DC precisa aprender urgentemente a aplicar em seu filmes live-action.

A trama do filme, dessa vez nos leva ao passado de Peter Quill. Os anti-heróis estão realizando um servicinho para uma imperadora galáctica, que mais parece um cruzamento da robô do filme Metropolis com o 3PO. Após isso, eles partem com a Nebula como prisioneira, e acabam tendo que aterrissar em um planeta estranho chamado Ego. Nome mais sugestivo, impossível! Lá eles encontram o pai de Peter Quill, interpretado aqui pelo grande ator Kurt Russell.

Mas aí, eles acabam descobrindo que a árvore genealógica de Quill é um pouco mais especial do que imaginam, e as coisas se complicam. Enquanto isso, Rocky, Drax e o Baby Groot (agora ele está na fase infante, se preparem para a surpresa no final!) aprontam mil e umas em um outro lugar cheio de gente mal encarada, e lá encontram um cara cujo nome é... pffahahahah!... pera, pera... o nome é... pfffahahahaha!... Taserface!! Desnecessário dizer que Rocky Rackoon, zoeiro do jeito que é, acaba lascando o bico por causa do nome do sujeito. Até a imperatriz 3PO do filme sai da sua sisudez para dar gargalhada do mercenário quando ela o vê!

Bom, lá a raposa entra numa fria e é preso com aquele sujeito mal encarado do primeiro filme, o Yondu, que é um dos personagens mais interessantes nesta segunda parte, até mesmo pela questão dele guardar algo que será essencial com ele para o clímax, sem contar a atitude badass que tem diante do perigo. O mais legal é que Rocky se vê nele, e acaba se ligando no sujeito, e se tornam grandes parceiros.

A reviravolta, apesar de ser meio fácil de prever, é bacana, e o filme se concentra nas situações engraçadas e nas possibilidades de interação entre os personagens. Tem a cena do Taserface (bwahahahahahah!!) que eu mencionei, tem uma cena em que Rocky e Yondu tem que passar por uns trocentos buracos de minhoca no espaço para chegar à Ego, e é muito gozado pelas caras impagáveis e situações engraçadíssimas que acontecem; tem também uma cena no clímax que o Rocky tenta explicar, sem muito sucesso, para o Baby Groot como ativar uma bomba de cinco minutos, e ele fica errando o botão que deve apertar, tem uma cena com uma personagem chamada Mantis, que pode sentir o que outras pessoas estão sentindo se tocá-las, e na hora que Drax está tirando uma casquinha de Quill, ela toca em Drax e começa a rir de se fartar também. Ah sim, e tem a já tradicional aparição de Stan Lee, que aqui aparece como um astronauta.

Mas claro, o filme não é apenas comédia (e comédia da boa, meu amigo!), tem também seus momentos sérios, como no clímax, em que tudo começa a tomar um rumo. Rocky perde um amigo, Peter tem que tomar uma decisão difícil envolvendo seu pai e seus amigos, e também tem os momentos de muita, muita ação, que são belissimamente renderizados na tela.

E se você ainda pensa que é só, senta na cadeira, amigão, que o filme vai ter umas trocentas mil cenas entre-créditos, todas relacionadas com o próprio universo do filme em si.

Este título da Marvel Studios é um caso a parte, se comparado com os outros! A única referência que tem aqui e que liga o filme ao resto do universo da Marvel, é o fato de Gamorra e Nebula terem relação com Thanos e as jóias do infinito, só isso! De resto, meu amigo, eu vou te dizer aqui neste momento: pode-se isolar tranquilamente Guardians of the Galaxy de todo o resto dos filmes da Marvel que não vai fazer diferença alguma! Aliás, comparado com os outros filmes da Marvel, eu esqueceria de todo o resto para concentrar meus esforços em Guardians, porque eu volto a afirmar aqui neste momento: ISTO FOI A MELHOR COISA QUE PÔDE ACONTECER COM A MARVEL STUDIOS! Todo o resto é até ok, passável, Homem de Ferro, Capitão America, Thor, e o que mais você quiser, mas Guardians of the Galaxy, aos poucos, está virando a galinha dos ovos de ouro da editora!

A aventura tem um sabor todo especial e diferente se comparado com os outros heróis da Marvel. E pensar que um título tão obscuro quanto este nas HQs da Marvel iria virar essa sensação! Se a editora tivesse sido mais inteligente antes, teria apostado mais nessa história!

Guardians of the Galaxy, e agora eu estou me referindo à série de filmes, vem trazer o elemento que a DC tem problemas em trabalhar: o humor. O filme consegue, ao mesmo tempo, te fazer chorar de rir, te emocionar, te deixar tenso, triste, alegre, reflexivo, e talvez até mesmo te fazer derramar uma lágrima. É fantástico! DC, minha DC, prepara essa sua amazona direito, porque a concorrência fez direitinho o dever de casa com o diretor James Gunn. Se necessário, cozinha por mais tempo essa amazona para que ela saia no ponto certo, porque pelo que eu acabei de ver, vai ser muito difícil superar o que Guardians Vol. 2 acabou de apresentar! Conto com você, DC!

E numa palavra final: desnecessário até eu dizer que recomendo com força esta sequência de Guardians of the Galaxy! Ela é excelente, tem uma trama muito bacana, humor de primeira linha, e vai fazer com que você saia do cinema mais leve, mais alegre, mais animado e otimista, como alguém que acabou de ganhar um novo Zune! Referência a descobrir por você, caro leitor, ao conferir este filmaço! Ah, e agradecidíssimo ao filme pelas pontas curtas, mas bem bacanas, de Sylvester Stallone como um dos mercenários do filme e de David Hasselhoff em algumas sacadas cômicas! Valeu muito a pena!

I AM GROOT!! Sabe o que isso quer dizer? Quer dizer para você se preparar para muita diversão, muita adrenalina, e um Groot que vai te dar outra surpresa nos entre-créditos finais. Não perca de jeito nenhum este filme! E se for mesmo verdade a mensagem final antes dos créditos começarem, podem ter certeza de uma coisa: estarei esperando, com ingresso comprado e lugar reservado na sala de cinema, pelo retorno desses personagens tão bacanas e carismáticos, desde já, com muita ansiedade.

Guardians of the Galaxy Vol. 2 (2017)
Título em português BR:
 Guardiões da Galáxia Vol. 2

Direção: James Gunn
Produção: Kevin Feige, Stan Lee
Roteiro: James Gunn (baseado em HQ escrita por Dan Abnett e Andy Lanning)
Trilha sonora: Tyler Bates

Estrelando: Chris Pratt, Zoe Saldana, Dave Bautista, Vin Diesel (voz), Bradley Cooper (voz), Michael Rooker, Karen Gillan, Stan Lee, Rob Zombie, Pom Klementieff, Sylvester Stallone, Kurt Russell, Elizabeth Debicki, Chris Sullivan, Sean Gunn, Tommy Flanagan, Laura Haddock, Ving Rhames, Michael Rosenbaum, Michelle Yeoh, Miley Cyrus, Jeff Goldblum, David Hasselhoff, Don Johnson, Seth Green.

Outros filmes desta cinessérie:
- Guardians of the Galaxy Vol. 2 (Guardiões da Galáxia Vol. 2) (2017)
Guardians of the Galaxy (Guardiões da Galáxia) (2014)

Filmes do Universo Cinemático Marvel:
ESPECIAL: Universo Cinemático Marvel

Trailer:

No comments:

Post a Comment