Sunday, April 30, 2017

FILME: Life (Vida)

Nota: 9 / 10

Nos primeiros minutos de filme, parecia algo nos moldes de 2001: A Space Odyssey, até a trilha sonora meio que te levava a pensar assim. Até os cinco minutos finais, você pensa "ah, remake de Alien, do Riddley Scott, nada de novo sob o sol". Mas aí... aí... puxa vida! Caramba, eu não posso dar spoilers sobre o final, que saco!

Olha, eu fui com uma cabeça assistir a esse filme, e voltei com outra. Aliás, se for parar pra pensar... ele meio que evoca uma ideia, puxando para a filosofia, de que os americanos podem estar um pouco receosos em relação ao futuro.

Enfim, Life me surpreendeu; eu não imaginava que uma trama espacial pudesse me surpreender de alguma forma a essa altura, mas essa realmente, como se diz em inglês, puxou o envelope nos minutos finais.

ESPECIAL: Dark Universe

Este artigo se refere ao novo universo de monstros do cinema, o universo compartilhado dos Monstros da Universal do século XXI, que se chamará Dark Universe, que começou em 2017 com o filme The Mummy. Aqui você acompanhará os filmes que já saíram, bem como os próximos lançamentos ao longo dos anos. Conforme o universo expande, este artigo será atualizado, então ficará mais fácil para acompanhar.

CANTO DO CISNE: Belchior

Quero começar esta postagem assumindo publicamente que não, este cara não fazia grande parte da minha escola musical. Quem acompanha o meu blog por mais tempo deve saber bem que o Rock, o Metal, o Blues e o Jazz são as minhas escolas musicais, as minhas referências, e por isso, logicamente falo mais desses estilos. Mas Belchior era um desses artistas da MPB que eu esporadicamente ouvia, e gostava, não tendo preconceito algum com gêneros musicais.

Saturday, April 29, 2017

LIVRO: Foundation (Fundação) - Isaac Asimov

Nota: 9,5 / 10

Da primeira vez que escrevi algo sobre o escritor Isaac Asimov, não tinha sido nem mesmo para o meu blog, mas sim por causa de uma atividade que eu havia desenvolvido em um determinado período de minha vida, e aí resolvi publicar o que eu havia escrito no meu blog, já que o texto não estava na internet. Foi sobre o livro The End of Eternity (O Fim da Eternidade), de 1955. Agora, eu volto com mais um livro de Asimov que faz parte de uma série de sete volumes. 

Esta série do escritor americano é a série Foundation (Fundação), e nesta postagem, vamos conversar sobre o primeiro livro que saiu da série em 1951, simplesmente intitulado Foundation. Não é um livro para qualquer pessoa. É muito bom, ficção-científica do mais alto nível, mas comparado com The End of Eternity, que teve mais ação e um clima mais aventuresco, é uma leitura que requer atenção.

Monday, April 24, 2017

FILME: The Fugitive (O Fugitivo)

Nota: 10 / 10

No início do ano, eu fiz um editorial dizendo que eu gostaria muito de fazer artigos sobre filmes e outras coisas mais clássicas e que não estavam muito em voga hoje em dia, mas que eu considero importantes, ou que tiveram algum efeito positivo sobre mim. Vou tentar começar a fazer isso a partir de agora, só não garanto a frequência com que será feito.

E vou começar com o filme que me fez olhar para qualquer outro do gênero thriller de suspense e pensar "nossa, achei bem legal até, mas não é como o Harrison Ford sendo perseguido pelo Tommy Lee Jones". Eu estou falando de um dos filmes mais importantes dos anos 90, The Fugitive, de 1993. Trata-se de uma adaptação de um seriado de 1963 e que foi até 1967, criado por Roy Huggins, e que foi um caso interessante na TV de série que passou pela transição da TV em preto e branco para a colorida.

Sunday, April 23, 2017

HQ: Astronauta: Singularidade

Nota: 8 / 10

Quando eu finalmente terminei de ler Magnetar, a reimaginação do personagem Astronauta, ao final eu estava em êxtase! Foi uma experiência absolutamente sensacional. Danilo Beyruth, o responsável pelo personagem de Maurício de Souza no selo Graphic MSP, havia feito algo realmente especial, nos proporcionando uma história de isolamento fantástica e intrigante.

Antes de Magnetar, eu havia lido primeiro Singularidade, a sequência de Magnetar, mas sem saber que se tratava de uma sequência. Geralmente eu não gosto de ver sequências antes da história original, mas eu estava curioso para saber o que Beyruth fez com o personagem de Maurício. Na primeira lida, fiquei bastante empolgado com tudo. Depois de ler Magnetar, não tanto, mas ainda assim considero Singularidade uma boa história, vale a pena ser conferida.

Thursday, April 20, 2017

CD: The Search For Everything - John Mayer

Nota: 9 / 10

Após dois lotes de músicas novas que John Mayer soltou entre Janeiro e Fevereiro, o músico finalmente resolveu disponibilizar o seu novo disco inteiro, The Search For Everything. Eu comecei a analisar as duas "waves" que ele lançou, porque não resisti em esperar pra ver material novo, e fico muito feliz que ele tenha resolvido nos mostrar o que tinha debaixo da manga após aquelas oito músicas que já havíamos conhecido. Logo, esta será uma resenha mais voltada ao todo da obra, porque eu já havia analisado 8 músicas deste disco, então me sinto mais livre para falar do artista de forma geral.

Sunday, April 16, 2017

CANTO DO CISNE: Allan Holdsworth

No dia de Páscoa, morre um músico muito admirado. Resolvi deixar o dia sem postagens até pela ocasião, mas não posso deixar passar esta perda. Allan Holdsworth, um dos guitarristas modernos mais influentes de todos, e um verdadeiro gênio musical do calibre de qualquer compositor clássico, morreu hoje aos 70 anos de idade.

Friday, April 14, 2017

NO CINEMA: Ghost in the Shell (A Vigilante do Amanhã: Ghost in the Shell)

Nota: 8,5 / 10

Após a trilogia The Matrix (1999-2003), eu fiquei sabendo que a criação dos Watchowskis era inspirada em diversas fontes, e uma delas era o mangá 攻殻機動隊 (Ghost in the Shell), escrito em 1989 por Masamune Shirow. Antes de The Matrix, eu nunca havia visto nem ouvido falar do mangá, nem da animação japonesa de 1995, dirigida por Mamoru Oshii, então eu saí pra pesquisar e consegui assistir alguns trechos, mas nada além disso.

Lembro de ter gostado da ideia, mas acabei perdendo a obra de vista, então venho assistir esta adaptação live action como um iniciante mesmo, sem saber muito em questão de fidelidade ou coisas assim. E, como expectador somente desta versão americana, eu gostei bastante, achei provocadora e instigante, até mesmo senti que deveria ter ido atrás antes desta história. Vamos então falar do filme.

CD: inFinite - Deep Purple

Nota: 9 / 10

O grande e finito trabalho. A grande e finita obra. A finitude do ser. Do universo. Do cosmos. A finitude da vida. Finita. Finis. Tudo acaba. Fecham-se as cortinas. Desmonta-se o palco. Recolhe-se os equipamentos. Nos dirigimos para casa. Desaparecemos da vista. Desliga-se os holofotes. Palco vazio. Fico vazio. Esvazia-se o ambiente. A música cessa. O show termina. Acabou. Só a memória é infinita. Deep Purple é infinito. Na história e na vida. Nos lembremos. E aproveitemos o clímax, os momentos finais. Ao infinito... e além!

Monday, April 10, 2017

MATÉRIA: DCEU - Origens Secretas: Batman

Continuando as origens secretas, vamos falar do Batman. Essa possivelmente vai ser a edição mais chata, porque é uma origem que todo mundo já está careca de saber. Ou talvez não, se você é alguém que, sei lá, está procurando por referências, um ponto de partida para acompanhar o personagem.

Ator: Ben Affleck

Sunday, April 9, 2017

FILME: Teen Titans: The Judas Contract (Jovens Titãs: O Contrato de Judas)

Nota: 9 / 10

Nesta animação eu comemorei duas coisinhas: a excelência com que a DC tratou seus personagens secundários, e o fato de ela ter conseguido, após tanto tempo, fazer uma animação que não envolvesse personagens de primeiro escalão. Em todas as animações anteriores, ou a Liga ou o Batman estava envolvido de alguma forma, então foi bom ter essa mudança de ares. Aqui, são só sidekicks, e pronto.

E olha que eu nunca me interessei por sidekicks! Robin, Asa Noturna, Kid Flash, nunca me interessei em realmente ler e me envolver com esses personagens, preferindo sempre os heróis principais. Dessa forma, não me lembro de ter lido The Judas Contract, mas quando soube da ressurreição da proposta de animarem o arco, fui atrás de conferi-lo. E foi bem bacana. A animação? Um grande aperfeiçoamento! Exceto talvez pelo Damian.

Saturday, April 8, 2017

ESPECIAL: O MonsterVerse

Vamos de MonsterVerse. Filmes de monstros sempre exerceram fascínio nas pessoas. Não sei se é pela razão das pessoas se verem nos monstros, mas enfim, isso já é outra história.

Resolvi abrir mais um especial para listar os filmes do MonsterVerse, a série de universo compartilhado dividida entre o King Kong e o Godzilla. Ela começou timidamente em 2014, tão timidamente que nem eu tinha me dado conta. Mas já existem planos para próximos filmes até 2020, então vamos conhecê-la um pouco.

Tuesday, April 4, 2017

SÉRIE: Powerless (Powerless) - 1x01: Wayne or Lose

Nota: 8,5 / 10

Após uma longa temporada alheio a tudo, voltei a ver algumas séries; eu não estava totalmente alheio afinal, mas sem o devido contato. Precisei, foi importante. Enfim, entre Arrow, The Flash, e algumas outras coisas, não pude resistir ao ver o primeiro episódio de Powerless, a série baseada em personagens da DC onde o foco principal não são os heróis!

E este primeiro episódio teve ideias bem interessantes, e mostrou que a série tem bastante potencial. Sabe aqueles civis que você vê de relance, no fundo da ação, quando está assistindo um filme do Superman, do Batman, etc? Pois é, essas pessoas comuns são trazidas para os holofotes aqui, enquanto que os heróis são jogados para escanteio. Eles aparecem também, de vez em quando, mas desta vez, só de relance. Portanto, vamos falar desta iniciativa tão legal e discutir algumas ideias do primeiro episódio.

Sunday, April 2, 2017

HQ: Batman: Arkham Unhinged (Batman: Caos Em Arkham City) - vol. 1


Nota: 9 / 10

A série de games
Batman: Arkham começou a ganhar algumas histórias em quadrinhos que se passam neste universo dos videogames, quando o primeiro e o segundo games foram lançados. Você pode conferir abaixo o link sobre a série para checar o que eu falei sobre as duas primeiras HQs que eles fizeram sobre os dois primeiros games. Eram HQs que visavam mais divulgar os jogos mesmo. Só que a coisa foi ficando tão séria com o passar do tempo, que rapidamente deixou de ser apenas algo panfletário, e passou a ter um caráter mais robusto.

Dessa forma, os criadores resolvem apostar mais alto e é lançada digitalmente a série Batman: Arkham Unhinged, que foi uma série de HQs que teve 58 edições ao todo. Desta vez, há a intenção definitiva de expandir este universo, contando histórias dentro dele que você não verá nos jogos.